CapaCapa
Meu DiárioMeu Diário
TextosTextos
ÁudiosÁudios
E-booksE-books
FotosFotos
PerfilPerfil
PrêmiosPrêmios
Livro de VisitasLivro de Visitas
ContatoContato
LinksLinks
Diàrio Recôndito e Poesia
O Jornal das Palavras - Fundado em 10/10/2017.
Meu Diário
21/02/2018 18h23
ROSEANI FAVERO: Alegria, cores, e criatividade...sempre!


Rosiane Favero - rosifavero@live.com


 

Alegria, cores, e criatividade...sempre!

 

O carnaval já ficou para trás, mas, farei uma breve menção. Festa anual, que consta no nosso calendário como um evento popular, também inspira a criatividade no que tange a desenvolver um traje para “brincar”, fazendo aflorar as fantasias de cada um.

Dias de abusar da imaginação e “brilhar! ” Usando criações com as texturas, cores, brilhos, adereços, de modo a levar mais glamour, alegria, charme, ousadia, e “luz” por onde se passa, inspirando outras pessoas. Momento oportuno, para fantasiar-se com aquele personagem oculto que está dentro de cada um. Aproveitar!

Explorar o lado mais colorido, fantasioso, ousado, excêntrico! Celebrando a vida com muita alegria, sorrisos e risos, ao lado dos amigos e familiares. Obviamente com o mesmo respeito, bom-senso, paz, equilíbrio, responsabilidade e amor, habituais. Lembrando que são alguns dias apenas, e logo após, a rotina continua. Vida que segue!

Isto dito, os personagens e as máscaras de carnaval, já não fazem parte. No entanto, interessante é manter a mesma energia e criatividade o ano inteiro, sendo inclusive, fonte de inspiração para outras pessoas. Desta forma, tenhamos em mente que esse espírito deve continuar, sim! Particularmente, respeito e valorizo as nossas festas populares. Desde que, os limites entre a brincadeira, diversão, e os exageros que eventualmente possam ocorrer, sejam observados. Caso contrário, esse evento popular deixará de ser festivo, perderá o verdadeiro sentido, tornando-se um grande equívoco. Não é o que gostaríamos de ver. Até a próximo!

 

“As máscaras...deixe-as apenas para o carnaval. ”


Coluna escrita as Segundas e Quartas

*Política: Segunda-Feira; Moda: Quarta-Feira.


Publicado por Diário Recôndito e Poesia em 21/02/2018 às 18h23
Copyright © 2018. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
 
20/02/2018 00h00
CARTA NO TEMPO: Versos Umedecidos


E-mail: oliveirapoeta.oliveira@gmail.com


Versos Umedecidos


 

ESTADO DE NEGAÇÃO

As vezes quando chega à noite, as coisas vêm traduzir o que os sentimentos tentam negar. É um ESTADO DE NEGAÇÃO total, como se a existência não fosse nada além de uma HISTÓRIA em declínio. Entretanto, me convenço do contrário, acreditando na LUZ!

 

TRAJETÓRIA HUMANA

Essa luz é a de uma NOVA REALIDADE, no qual traz nas madrugadas as belezas de uma INSPIRAÇÃO. A negação confronta com minha alma, e a deixa confusa. Mas quem disse que na confusão não se pode dá sentido à própria TRAJETÓRIA HUMANA?

 

NOVIDADES DO AMOR

Penso em todas as possibilidades de se caminhar numa estrada a qual me leva a um JARDÍM cheio de FLORES de todas as CORES, cujo o perfume escancara dentro de mim os anseios. Revisto-me de poesia, então, percebo ser a hora de vivenciar as NOVIDADES do amor.

 

AMOR A ARTE

O amor, no qual falo, são os VERSOS UMEDECIDOS, molhando não somente meu ESPÍRITO, como também os olhos dos quais as lágrimas de quem ama verdadeiramente a arte poética se emudece com tanta ternura e valorização de cada palavra dita e escrita.


Coluna escrita as Terças e Domingos.

www.cartasnotempo.blogspot.com


Publicado por Diário Recôndito e Poesia em 20/02/2018 às 00h00
Copyright © 2018. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
 
19/02/2018 09h54
ROSEANI FAVERO: Gerações que se complementam


Rosiane Favero - rosifavero@live.com


Gerações que se complementam


 
Desde sempre, as gerações foram educadas a não condenar um método, sistema. Embora muitos de nós, já tenha reagido de modo a mudar esse conceito, vou elucidar apenas para que entendamos melhor. Na minha geração, o que aprendi foi “apenas faça, pense no seu emprego. ” E ponto.  Era frustrante, mas, não reagíamos. Hoje, não tem que ser assim. No ambiente de trabalho por exemplo, se pronunciar é bom e positivo. Até uma crítica é benéfica! Pense nisso. Se você não é criticado por algum motivo, é porque estão ignorando você. Ou seja, você não existe. O outro pensa “não vale a pena conversar, essa pessoa não me questiona, não me inspira! ” E sabe por quê? O que se quer hoje, são lideranças. Sim! Ter iniciativa, expor uma ideia mesmo que contrária, enfim; falar, comunicar! Não ter medo, ir em frente e dizer a que veio. Deste modo, mostrará que existe uma vontade, uma força dentro de você e o “mundo” saberá o que você quer dele. Essa geração entende muito bem isso. Não há tempo, para perder tempo!


Para a geração passada, enquanto pais, liderança no ambiente de trabalho, comunidade, inclusive nas escolas, cabe delinear e ajudar na construção de um pensamento. E veja só, essa mesma geração (a passada), tem uma dificuldade enorme de entender a rapidez com que a geração de agora, lida com tudo ao mesmo tempo, principalmente na fase escolar. Ouvem, falam, escrevem, pesquisam, interagem com tablets e smartphones, enfim; tudo ao mesmo tempo. E nos perguntamos até com uma certa angústia, se realmente estão conseguindo aprender e desenvolver algo. Mas, não estaria sendo um exagero da nossa parte, pensar assim? Afinal, é só uma geração vivendo o seu tempo, se desafiando a todo momento, a aprender e conviver com o que lhes é apresentado. E assim, sucessivamente, uma geração ensinará e acrescentará algo, a outra. Por esse motivo, atribuir a geração de agora, a responsabilidade pelo que é ruim, assim como o futuro ou fracasso de algo, a meu ver não está em conformidade. Vale uma reflexão. A nossa contribuição enquanto geração passada, é no sentido de moldar o senso crítico desta, no que tange a construir algo que de fato movimente a sociedade na direção de uma evolução cultural e histórica. Que obviamente, não é trabalho e dever de uma geração apenas; e sim, de todas as gerações.


“Uma geração tem o dever de contribuir para que a próxima, seja mais próspera, capaz e feliz. ”


(Rosiane Favero)


Coluna escrita as Segundas e Quartas.


Publicado por Diário Recôndito e Poesia em 19/02/2018 às 09h54
Copyright © 2018. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
 
18/02/2018 00h00
CARTAS NO TEMPO - O Descrever


E-mail: oliveirapoeta.oliveira@gmail.com


 

O Descrever


 

DO AMANHECER...

Do amanhecer tiro a alegria de poder escrever em sua FILOSOFIA! O mundo sem POESIA é um pequeno lago, só que destruído pela POLUIÇÃO de quem não tem nenhum sentimento vivo pela a arte de bem amar os versos e suas palavras. É como se o amor perdesse a mística, e tudo perde o significado. Ainda tenho o desejo da luz!

 

A ILUMINAÇÃO

Essa luz me indica a iluminação que posso receber em meio a INSPIRAÇÃO de um tempo ilimitado. Ser um poeta apaixonado pelos poemas me faz ser um homem feliz, pois minha sacralidade acaba sendo o ponto chave da espiritualidade de que possuo. Neste momento, o horário chega a meia-noite, entretanto, o relógio vai voltar até as onze.

 

LÁBIOS SERENOS DA IMAGINAÇÃO

E ao retornar o seu ponteiro, vejo a captura da percepção poética, invocar os sonhos, enquanto o sono profundo vem tornado o fim de um sábado aproveitoso, em um belo momento doce dos lábios serenos da IMAGINAÇÃO. E por mais que se tenha vivenciado algumas coisas o dia inteiro, ainda falta o DESCREVER, antes do apagar das luzes. 

 

"Que possamos descrever nossa vida em sua pelnitude"


Coluna escrita as Terças e Domingos.

www.cartasnotempo.blogspot.com


Publicado por Diário Recôndito e Poesia em 18/02/2018 às 00h00
Copyright © 2018. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
 
16/02/2018 00h00
VIAJANDO NA POESIA – Andanças

 


Valmir Vilmar de Sousa - vevesousa1958@gmail.com


 

ANDANÇAS


 

CAMINHANDO SOBRE OS PRADOS, OBSERVEI A BELEZA DA VIDA.

O CANTAR DOS PASSAROS, A LUA A ESPREITAR O MEU ANDAR.

AS NUVENS A CARREGAR AS GOTAS DA CHUVA QUE ADIANTE IRA CAIR NOS OCEANOS.

AS FLORES A COLORIR MEU CAMINHAR, OS AROMAS A SE ESPALHAR ENTRE AS MATAS VERDEJANTES.

COMO É BELA A NATUREZA QUE NOS ILUMINA, NOS PURIFICA E NOS FORTIFICA.

CERCA DE HORTÊNSIAS A ME GUIAR ENTRE PLATÔS E BOSQUES PURIFICANDO NOSSA ALMA DE FORTES EMOÇÕES E VIBRAÇÕES.

RELVA MOLHADA, MACIA DE ANDAR. ENERGIA CONTAGIANTE, EDIFICANTE.

LEVE-ME À EXAUSTÃO DE UMA COMUNHÃO COM ESTE SER SUPREMO QUE HABITA EM MIM.


Coluna escrita as Sextas-feiras.


Publicado por Diário Recôndito e Poesia em 16/02/2018 às 00h00
Copyright © 2018. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.



Página 1 de 10 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 [próxima»]