CapaCapa
Meu DiárioMeu Diário
TextosTextos
ÁudiosÁudios
E-booksE-books
FotosFotos
PerfilPerfil
PrêmiosPrêmios
Livro de VisitasLivro de Visitas
ContatoContato
LinksLinks
Diàrio Recôndito e Poesia
O Jornal das Palavras - Fundado em 10/10/2017.
Meu Diário
15/12/2017 00h00
VIAJANDO NA POESIA – A Paz

 


Valmir Vilmar de Sousa - vevesousa1958@gmail.com


 

Paz, Pax, Paix, Fred, Vrede, Frieden, Bakea e assim sucessivamente em outras línguas. Os povos ao redor do mundo repetem diariamente este mantra, PAZ. No entanto cabe aqui, uma profunda reflexão. Nós realmente temos consciência do significado destas duas consoantes e uma vogal? O peso que ela nos carrega? Primeiramente devemos promover a paz dentro de nós mesmos para depois exigir ao outro esta paz que tanto alardeamos. Precisamos usar da alteridade para chegarmos a algum lugar e sentirmos libertos das armadilhas que rondam o nosso caminhar. A nossa paz interior é fundamental para o nosso bem estar, nossa libertação do julgo alheio. Como devo me sentir em paz? Quando estou de bem comigo mesmo, com meu Eu Divino. Quando tenho consciência de que minhas atitudes não estão a prejudicar a mim e ao outro. A ética em minhas ações deve estar em primeiro plano. Devemos fazer ao outro o que desejamos a nós. É salutar exigirmos nossos direitos, no entanto os nossos deveres devem ser cumpridos a risca. Quando criticamos nossas autoridades por suas mazelas esquecemo-nos de olharmos para dentro de nós e nos questionar: se eu lá estivesse faria igual, melhor ou pior? Desejo para mim meus direitos e o meus deveres? Pago corretamente meus impostos? Não furo a fila dos idosos? Não estaciono meu veículo na vaga dos portadores de necessidades especiais? Dos idosos? Quando sou apreendido por um guarda diante de um erro cometido, qual o teor de minha conversa? A solidariedade faz parte de minhas atitudes? Sou fraterno comigo e com o outro? Meu discurso “político/social” a quem eu quero atingir? A sociedade como um todo ou somente resolver o meu “lado”, resolvido meu problema esqueço totalmente dos problemas que atingem a sociedade em geral? Eu quero a paz mundial, no entanto não perdoo aquele ser que está ao meu lado dividindo o mesmo teto, seja esposo, esposa, filho, pai, mãe e afins. Ignoro meu vizinho, meu colega de trabalho, meu irmão de fé e ainda lutamos pela paz mundial? Devemos semear a paz nas coisas mais simples, pois é nela que está a verdadeira lição de vida. É na simplicidade que aprendemos e crescemos. Grandes discursos só servem para inflamar nosso ego, não leva a nada, ficam no vazio, se dissipam no espaço. Vivamos nossa paz interior livres de conceitos e preconceitos, sem julgamentos. Mente aberta para as mudanças que se fazem necessárias, fé, mais ação e pouco discurso. Não somos turistas neste planeta, cada um de nós temos o compromisso de contribuir com a evolução do mesmo e esta evolução começa por nós, no nosso interior. Somos todos parceiros de Deus, pois ele nos legou o direito e dever de fazer deste planeta um lugar de paz, amor, liberdade, solidariedade, fraternidade. O que estamos esperando? Que tal cada um fazer a sua parte colocando a mão na massa e construirmos um mundo melhor? Sermos dignos com Aquele que nos confiou esta responsabilidade? Deus deseja que esta parceria continue sempre, sem data de validade, pois ele é soberano, justo e paciente para com suas criaturas.  Mais Paz na prática e menos paz no discurso. Namastê


Coluna escrita as Sextas-Feiras.


Publicado por Diário Recôndito e Poesia em 15/12/2017 às 00h00
Copyright © 2017. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
 
13/12/2017 09h38
CARTAS NO TEMPO – Um Lugar Imaginário...

 


Por Ricardo Oliveira - oliveirapoeta.oliveira@gmail.com


 

Sentimentos ao despertar

É tão bom despertar de forma a estar bem consigo mesmo e com os outros! Com os Sagrado, melhor ainda. O coração se enche de alegria e tudo se torna belo por natureza. A vida tem um gosto especial de a luz emanada do Céu é a razão para sentir a poesia se mover juntamente com a alma misteriosa e que não se pode medir ou se ver, mas se sabe, contudo, que ela existe. O sopro do vento deixa um sonho de quem deseja sair para navegar ou um campo florido dá um toque especial para se pensar em caminhada e se jogar nas pétalas sem ter vontade de ficar com os olhos fixos no tempo. Assim que estou e por isso venho a escrever esta coluna, para convida-los a imaginar mundos e lugares a desbravar...

 

O Desbravamento...

Desbravar é ir em busca de coisas novas. É ter a vivencia de todas as coisas possíveis para se ter de experiência. As experimentações são curiosidades a se tornaram de fato as palavras de um texto, de versos e canções. Provavelmente pinturas de obras primas e esculturas são frutos dessas idas e vindas das alegrias e tristezas dos quais os seres humanos passam para crescerem como pessoa. Um filosofar de mente humana. Um ar que se respira e uma inspiração a se iniciar a qualquer momento. Voltemos a proposta inicial de imaginar cidades, não importa se são verdadeiras ou vindas de sonhos absurdos. Uma criação a ser extravagado por cada leitor/a em sua própria maneira de construí-la.

 

Álvares de Azevedo e a minha poesia

O Poeta Álvares de Azevedo traça em sua poesia “Amor” algo tão sublime a ser escutado com atenção de quem realmente ama algo ou alguém.   Um de seus versos diz: “Quero em teus lábios beber os teus amores do céu, quero em teu seio morrer no enlevo do seio teu! Quero viver d’esperança, quero tremer e sentir! Na tua cheirosa trança quero sonhar e dormir!” Um suspirar a transmitir neste instante a imagem de um lugar totalmente poético e fora de todos os padrões, será? Palavras como ESPERANÇA – AMOR-SONHAR-DORMIR – SENTIR, me levam a finalizar este texto com uma pequena poesia minha que vem a nos levar a longínquas vias do poder de ser criativo no que desconhecemos:

 

Mundo de ideias e mistérios

Sorrateiramente me conduzo até as montanhas,

E percebo que já ultrapassei a ponte de um mundo

De ideias e de mistérios, dos quais me comovem.

A esperança de poder caminhar por campos verdes,

É a base com que a minha filosofia traz em mim

A liberdade de um amor incontrolável e ao mesmo

Tempo vem fazer com que eu veja a cachoeira.

As águas límpidas e refrescantes me colocam a dormir...

E dormir após um bom banho. O sonhar com pássaros

É a verdade de poder sentir, ainda pequena e leve,

A gostosura do mundo poética e com tantas cores.

Caso seja o céu para alguns, é bem elaborado,

Caso seja um lugar diferente e existente em outros mundos,

Isso depende, pois a cada um é dado a oportunidade de imaginar.

 

Desejo a todos e todas um Natal lindo em familia e um Ano Novo com poesia!


Coluna escrita nas Terças e Quartas.


Publicado por Diário Recôndito e Poesia em 13/12/2017 às 09h38
Copyright © 2017. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
 
12/12/2017 00h00
CARTAS NO TEMPO – Poesia do Amor

 


Por Ricardo Oliveira - oliveirapoeta.oliveira@gmail.com


 

Amor Interesseiro

A de se desconfiar quando o amor é interesseiro. Não dá certo viver deste jeito, assim vamos brincando com nossos sentimentos. O amor não pede nada em troca e nem faz com que sintamos pesado...Até porque ele é leve e amável. Ele (o amor) é o ato mais puro em nossa existência e não nos obriga a fazer coisas dos quais não são boas. Por excelência, quem ama sabe respeitar o limite do outro e suas potencialidades. Penso ser poético nosso ser quando nos enchemos de coragem para declarar este amor dentro do peito. Os ventos desejam ouvir a nossa voz, o Sagrado quer sacralizar este ato de inocência, sim, o amor também é inocente. Busquemos nossas partes e se já encontramos, não percamos a suavidade de escancarar o que está em nosso interior.

 

Será que não percebemos beleza de amar?

Também, vejo que este amor se torna um pouco possessivo e prejudicial para ambas as partes. Quando os sentimentos se tornam ciúmes, desconfiança, isso vem descarregar no Outro a violência de várias formas. Que amor é esse? De onde vem tanta fúria? Será que os seres humanos não veem a beleza que é o significado de amar. Será que não percebem que aos poucos matão a poesia, a si mesmos e a/o companheira/o no qual logo deixará de amar? Deixar de amar é porventura loucura, entretanto, louco é quem não sabe se controlar e não compreende as consequências disso. Uma ajuda não é sinônimo de fraqueza, mas um momento necessário para a tranquilidade e o bem-estar do íntimo.

 

Não culpemos o amor

Sabemos que a vida a dois não fácil, mas é uma construção e depende de ambos. O amor não é responsável por nossos atos. Quero dizer a respeito, pois entendo que não se deve por a culpa no amor. É porque eu amo...extrapolo as linhas que me mantém sana: a ética. É porque eu amo...vou prender meu/minha amado/a. Não sou nenhum psicólogo e nem escrevo para dá lição de mora em quem quer que seja, mas falo a partir do que eu acredito ser o correto, e podem concorda ou não sobre meu ponto de vista nesta coluna. Cuidemos deste amor por inteiro! Demos a ele a oportunidade de ser quem realmente é. Penso que o amor é um espelho a fletir nós mesmos enquanto pessoa.

 

A lógica da Poesia

Com toda esta fala de benquerer, me lembro das pétalas de rosas. Quando gostávamos de alguém, começávamos a tirar as pétalas dizendo: - Bem me quer. Mal me quer! Era tão bom quando os versos vinham em só palavra: -Bem me quer! Todas as coisas mudaram e temos que caminhar com estas mudanças, contudo, é bem improvável que tenha se perdido essas coisas no tempo...Em algum lugar, ainda existem pessoas brincando de tirar as pétalas por aí. Não poderiam terminar minha Cartas No Tempo sem trazer a canção intitulada de “Sinônimos”. Escutar esta música na voz de Chitãozinho e Xororó é de se arrepiar. Tem um verso que me comove: “Quem ama nunca sente medo de contar o seu segredo...”  Então, vamos abrir nossos segredos para nossos amores. Essa é a lógica da poesia da CONFIANÇA.

Queridos leitores/as, marquemos o nosso próximo encontro?


Coluna escrita as Terças e Quartas.


Publicado por Diário Recôndito e Poesia em 12/12/2017 às 00h00
Copyright © 2017. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
 
11/12/2017 08h50
CABEÇA PENSANTE - Assumir compromissos, alcançar resultados.

 


Rosiane Favero - rosifavero@live.com


 

Compromisso e comprometimento, são coisas distintas O Compromisso é uma responsabilidade assumida, já o comprometimento vai além da responsabilidade, há o envolvimento e motivação para cumprir o compromisso. A palavra comprometimento hoje, passou a ser comum no nosso dia a dia, até porque nunca se precisou tanto; haja visto, os momentos difíceis que o nosso país enfrentou (já houve melhorias), e ainda está enfrentando. Quem se compromete com o resultado, seja de um trabalho ou projeto, automaticamente, cumpre todas as outras etapas esperadas. Quem assume a postura de entregar o melhor, facilita e agiliza os processos, colabora, busca alternativas para resolver as questões que muitas vezes diz respeito a outras pessoas. Quem se compromete com o resultado deixa o ego de lado, auxilia, se coloca à disposição. Podemos dizer, por exemplo, que este é (ou teria que ser), o compromisso e comprometimento dos nossos Governos e Instituições nas esferas Municipal, Estadual e Federal.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Quando alimentarmos pensamentos e posturas como, “eu fiz a minha parte, se não deu certo não é culpa minha”, não estaremos de fato comprometidos, e sim equivocados. Quem está, pensa o tempo todo em como poderia ajudar mais, por que a ideia inicial não deu certo, enfim. A sociedade que somos todos nós, deve se comprometer pensando no bem maior. Você já parou para pensar se está comprometido realmente com o que você se propôs a fazer?

Comprometa-se com o resultado, motive as pessoas que estão a sua volta, seja família, amigos, colegas de trabalho, sua comunidade, enfim; assim, você estará se comprometendo também com você, com seu desenvolvimento e a sua satisfação pessoal. Se sentir que isso não é possível, estude outras possibilidades, mude, mas, busque um lugar onde realmente possa dizer, “sou comprometido, acredito no que faço e alcançarei o melhor resultado! ” O ganho para sua vida será imenso! Temos que ter consciência que somos aquilo que desejamos ser! Muitas vezes, é natural do ser humano ser arrogante, conformado, desorganizado, impulsivo, negativo, teimoso. No entanto, precisamos mudar esse tipo de atitude, caso contrário, estaremos comprometendo o resultado daquilo que tanto desejamos.   O sucesso e o insucesso caminham lado a lado. E tudo depende da maneira como encaramos as situações e circunstâncias da vida. Não reclamar e se colocar no papel de vítima, é um grande passo! Enfim, são vários os comportamentos assumidos por aqueles que não têm coragem de superar seus limites, enfrentar suas dificuldades e que preferem incentivar atitudes que nunca os levarão ao sucesso e o pior, induzindo outras pessoas a percorrerem o mesmo caminho.  O sucesso depende de dedicação, planejamento, preparação, atitudes que estejam atreladas a valores e princípios, respeito às pessoas e bom relacionamento.  É muito importante pararmos para refletir sobre a vida que temos e a que desejamos ter. Será que estamos tendo atitudes que nos valorizam, estamos nos desenvolvendo nos aspectos profissional, emocional e social?   Mudar de atitude, pode significar experimentar o desconhecido. Nós, muitas vezes, não sabemos exatamente como percorrer por esse caminho, por medo do fracasso.  O que muitas pessoas fazem é preferir manter seus velhos hábitos, pois esses as manterão na zona de conforto. Medo, incerteza, instabilidade, insegurança, são emoções que a maioria das pessoas evita experimentar. Afinal, num primeiro momento todos nós detestamos a ideia da mudança. Preferimos lidar com o que já conhecemos do que lidar com o que desconhecido. Isso, insisto, precisamos mudar. Aliás, para que haja crescimento, desenvolvimento, seja em que área for, é preciso mudar! E obviamente implica em atitude! Mas como mudar um comportamento? Respondo. Decida-se, posicione-se, acredite, se comprometa e siga. Esse é o caminho daqueles que realizam. Tentemos perceber a nossa realidade e não sejamos omissos.                                                                                     

Em razão das questões que o nosso país enfrenta por exemplo (emprego, reformas, ajustes, gasto público, enfim), lhes pergunto, nós realmente conseguimos perceber a realidade das coisas? Se mudar, está ligado a percepção da realidade, a meu ver ainda insistimos em coisas que nos prejudicam. E todo comportamento humano resulta em consequências, que poderão ser positivas ou negativas. Por isso aproveito para dizer que, o nosso compromisso e comprometimento nas eleições de 2018, é vital. Os grandes heróis, gênios, inventores, líderes e empreendedores da história, foram (e alguns ainda são) pessoas que resolveram não só as suas questões pessoais, mas também as questões dos outros, contribuindo dessa forma para toda a humanidade = Compromisso e comprometimento.   

Um NOVO comportamento só trará benefícios. Porém, tudo é uma questão de posturas e atitudes. Sugiro saímos da zona de conforto e nos comprometer mais.  O poder da atitude é mágico e é capaz de transformar a nossa vida. Portanto, vamos usar esse poder e entrar em ação. A boa notícia é que o poder de mudar a atitude está disponível para todos nós. Tudo o que devemos fazer é usá-lo com a maior frequência possível, como exercício diário, para que a nossa vida seja extraordinariamente bela e próspera!

Da próxima vez que se sentir paralisado pelo medo, lembre-se de que você pode  mudar tudo a seu favor e a favor de outras pessoas. Se você fizer isso, se surpreenderá com os resultados que alcançará!

Desejo a você Natal de paz e a certeza de que o NOVO ano será repleto de mais conquistas, muitas realizações e ótimos resultados! Só dependerá de você.

Até 2018!!!


Coluna escrita as Segundas-Feiras.


Publicado por Diário Recôndito e Poesia em 11/12/2017 às 08h50
Copyright © 2017. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
 
08/12/2017 13h48
VIAJANDO NA POESIA - Tempo de Amar

 


Por Valmir Vilmar de Sousa - Vevesousa1958@gmail.com


 

Quando é tempo de amar? Uma pergunta pertinente que ronda nossas vidas. A palavra amar consiste de vários sinônimos e cada um toma para si o que melhor encaixa em sua vida. Seja um benquerer, um prezar, um estimar, um gostar ou um apreciar. Pode também representar um apaixonar, um adorar, um cultuar, um idolatrar ou mesmo um venerar. O rumo de nossas vidas, somos nós que determinamos, porém sem amor a si próprio se torna difícil galgarmos algum degrau desta escada da vida. O verbo amar deve ser conjugado diariamente, pois só desta forma é que nos sentiremos felizes. O amor próprio deve estar em primeiro lugar, afinal como vamos amar o outro se falta amor para conosco? Amar a vida, amar nossa família, amar a natureza, amar nosso trabalho, amar nosso inimigo. O que amar nosso inimigo, eu escrevi isto? Devo estar equivocado. Como posso amar um ser que me prejudicou? Que me traiu tal qual o Judas? É impossível isto acontecer. Será mesmo impossível? Vamos ver as possibilidades. Eu posso apreciar a capacidade intelectual, profissional do meu desafeto, no entanto não preciso comungar de suas atitudes da qual discordo. Devemos entender que para ele tal atitude tomada foi a mais correta, mesmo nos prejudicando, pois o que é correto para mim pode ser incorreto para outrem e vice versa. Isto é compaixão, praticar a alteridade para com o outro. A tolerância também é uma forma de amar. Devemos fazer ao outro o que desejamos a nós.  É importante sairmos da zona de conforto e enfrentar as diversidades que ronda a nossa caminhada, aliás, ela faz parte do contexto geral. Quem pensa idêntico ao outro, somente transmite o que ele vê e o que ele ouve. A diversidade de ideias é salutar para o nosso aprendizado, desta forma crescemos trocando experiências com o diferente. No decorrer da história surgiram seres especiais convictos de que o amor está acima de qualquer barreira. Os melindres não fizeram parte de seus vocabulários, pois a paciência, a compreensão e a solidariedade caminhavam juntas em suas vidas. Dentre estes que por aqui passaram destaca-se Jesus Cristo. Vivendo em uma época onde a sociedade, políticos, religiosos e cidadãos comuns viviam uma decadência moral e ética, o judaísmo pregava um Deus vingativo, a lei do olho por olho, dente por dente, este ser, vem com uma nova proposta de vida baseada no amor, na confiança, no perdão. Apresenta um Deus bondoso, caridoso que compreende e perdoa seus rebentos dando-lhes oportunidades mil para se reconciliar, se regenerar, ama a todos sem restrições. Com esta atitude e sapiência ele foi condenado por seus algozes sob o patrocínio da sociedade em geral, pois preferiram a soltura de um Barrabás em detrimento de sua pessoa. O momento atual é passível de uma profunda reflexão, afinal quantos Barrabás ainda iremos soltar até atingirmos a merecida paz universal? Paz interior para que possamos disseminar o amor a nós e aos outros? Comumente criticamos a atitude do outro sem olharmos para dentro de nós, pois esta crítica nada mais é do que a nossa imagem refletindo no espelho do criticado. Somos a nós que a crítica está sendo direcionada, no entanto é mais fácil espelhar-se no próximo. Devemos estar atentos a esta prática comum, ver nossos defeitos no outro, assim sendo, nos “isentamos de qualquer responsabilidade” de possíveis mudanças que se fazem necessárias. Ainda há tempo de amar, se amar, ser feliz e termos uma vida saudável livre de preocupações, de preconceitos. A vida nos foi ofertada para vivenciarmos da melhor maneira possível. Os demônios dentro de nós são criações nossas, se assim o são, temos a capacidade e o dever de exterminá-los de nossas vidas. “A nossa mente jamais deve ser sua morada, fechamos as portas evitando sua entrada, pois lá existe um belo jardim florido de rosas e jasmim que deve ser regado diariamente com bons pensamentos, boas ações e semeado com muito amor.” O escarnio é necessário, mas ai daquele que o promover”, esta frase bíblica sempre atual deve servir de parâmetro para todos nós viventes. Até onde chega a nossa compreensão perante este dito bíblico? A mudança se faz necessário, porém a responsabilidade é de cada um diante desta mudança, com isto devemos refletir a exaustão nossos comportamentos, nossas decisões tomadas, nossos caminhos percorridos até aqui. O que faremos a partir de agora, o que é melhor para mim e para o próximo, estamos harmonizados com a natureza, com Deus e comigo mesmo? Sinto-me amado? Tenho a capacidade de amar o outro? Independente de convicções religiosas, políticas, filosóficas, o AMOR deve prevalecer. Então vamos à luta, ainda há TEMPO DE AMAR.


Coluna escrita as Sextas-Feiras.


Publicado por Diário Recôndito e Poesia em 08/12/2017 às 13h48
Copyright © 2017. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.



Página 8 de 10 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 [«anterior] [próxima»]